Apontamentos sobre a “Teoria do Autoritarismo”

R$25,00

Apontamentos para a ‘teoria do autoritarismo’ foi escrito por Florestan Fernandes com base em anotações de aulas para o curso de graduação sobre a “Teoria do Autoritarismo”, que ministrou no Departamento de Política da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) no final de 1977. Nosso autor escreve em uma época em que as experiências socialistas do século XX, como as da Iugoslávia, China, Cuba, URSS, estavam vigentes e disputavam a hegemonia mundial com a superpotência capitalista, numa polarização entre revolução e contrarrevolução. No plano nacional, desde 1964 vive-se uma ditadura civil-militar promovida e apoiada pelos EUA que esmaga a possibilidade de se realizar as reformas de base propostas pelo governo de João Goulart com o apoio das forças de esquerda.

Consolida-se nesse contexto, segundo Fernandes, o desenvolvimento capitalista brasileiro e o seu caráter autocrático. Mas a compreensão do autoritarismo apenas em sua face política – próprio da ciência política liberal – mostra-se falha, uma vez que não a relaciona com o próprio movimento – e necessidades – de expansão do capital e do capitalismo. Assim, por um lado, o autor procura demonstrar como, no liberalismo e nos regimes fascistas e intolerantes do despotismo burguês, o elemento autoritário opera como componente estrutural e dinâmico da preservação, fortalecimento e expansão do “sistema democrático capitalista”. Por outro, a parar do conflito de classes como linha de análise e suas múltiplas polarizações, ainda presente nas críticas e perseguições do cerco capitalista de hoje, nosso autor enfrenta o debate sobre a ditadura do proletariado.

Como uma democracia da maioria, ou elemento proletário da democracia, a diferencia completamente do autoritarismo e do despotismo burguês. Apesar dos equívocos e erros históricos que marcaram a experiência soviética de transição ao socialismo, tal debate, ainda hoje necessário, demonstra a vigência e a urgência da construção do socialismo como um novo projeto de sociedade.

REF: 9788577433520 Categorias: , , , Tags: , , , , , , , ,

Autor:
Florestan Fernandes

Número de páginas:
166

ISBN:
9788577433520

Editora:
Expressão Popular

ID do produto: 28288

Descrição

Florestan Fernandes (1920-1995) foi um intelectual brasileiro comprometido com os “de baixo”, como ele mesmo se apresentava: “socialista, militante de movimentos de protesto social, sociólogo e professor” que contribuiu para a compreensão da realidade social brasileira, para a defesa dos direitos dos trabalhadores, dentre eles, o direito à educação e à igualdade racial.

Foi professor na Universidade de São Paulo desde 1945, catedrático em 1964, mas cassado pelo AI-5, em 1969. No exílio, foi professor em universidades canadenses e estadunidenses. Em 1978, já no Brasil, foi convidado a lecionar na PUC/SP. Em 1986, foi eleito deputado federal à Constituinte, pelo Partido dos Trabalhadores, e reeleito em 1990. Dentre vasta produção intelectual, destacamos as obras publicadas pela Expressão Popular:  A universidade brasileira: reforma ou revolução?, Da guerrilha ao socialismo: a revolução cubana, Apontamentos sobre a “Teoria do Autoritarismo, Poder e contrapoder na América Latina, O que é revolução?, O significado do protesto negro, A contestação necessária.

Em seu centenário de nascimento [22/07/2020], o povo brasileiro relembra a sua trajetória comprometida com a causa da emancipação da humanidade. Como sociólogo, foi considerado fundador da sociologia crítica no Brasil, e grande intérprete do marxismo na América Latina. Com isso, contribuiu para o estudo das questões raciais, da escravidão e da abolição, sob a ótica da luta de classes, bem como do debate sobre a revolução burguesa no Brasil e as tarefas revolucionárias na América Latina e no Brasil. Como lembrou Antonio Candido sobre seu grande amigo Florestan: “Creio que ele foi o primeiro e até hoje o maior praticante no Brasil desse tipo de ciência sociológica, que é ao mesmo tempo arsenal da práxis, fazendo o conhecimento deslizar para a crítica da sociedade e a teoria da sua transformação.

Informação adicional

Peso 0.280 kg