Árvores geneticamente modificadas

R$15,00

Os nomes que os povos locais alocam às plantações florestais industriais ilustram os problemas causados por esse modelo de florestamento. Na Tailândia, os agricultores chamam o eucalipto “a árvore egoísta”, porque as plantações de eucaliptos absorvem os nutrientes do solo e consomem tanta água que nos campos vizinhos não é possível plantar arroz. O povo indígena Mapuche do Chile se refere às plantações de pinheiros como “milicos plantados”, porque são verdes, formam fileiras e avançam. No Brasil, as plantações florestais são chamadas de “deserto verde” e, na África do Sul, “câncer verde”.

As plantações de árvores GM apenas vão exacerbar esses impactos. Árvores de crescimento mais rápido esgotarão a água mais rapidamente; haverá uma maior destruição da biodiversidade nos desertos biológicos de árvores modificadas para serem resistentes a insetos e não terem flores, frutos nem sementes; o solo se destruirá mais rapidamente, através do aumento da extração de biomassa, a mecanização intensiva e o aumento do uso de agroquímícos: mais comunidades serão despojadas de seus meios de vida e serão deslocadas para abrir o caminho para ainda mais “desertos verdes”.

REF: Árvores geneticamente modificadas Categoria Agroecologia Etiquetas: Agroecologia, Coleção Agroecologia, Expressão Popular

Fora de estoque

REF: Árvores geneticamente modificadas Categorias: , , , Tags: , ,

Autor:
Chris Lang

Número de páginas:
144

ISBN:
978-85-7743-012-0

Editora:
Expressão Popular

ID do produto: 6999

Descrição

 

 

Informação adicional

Peso 0.165 kg
Aguarde

Livraria e Editora Expressão Popular

Receba nossos informativos!