Minhas galerias e meus pintores

R$21,90

A revolução cubista que mudou a cara da arte no começo do século XX teria ocorrido de qualquer forma se dela participas­sem apenas Pablo Picasso e Georges Braque; mas certamente não seria a mesma se junto deles não estivesse o jovem judeu alemão Daniel-Henry Kahnweiler (1884-1979). Este homem discreto, de nome complicado e modos educados, pode ser considerado, ao lado do folclórico Ambroise Vollard, o maior e mais importante marchand da arte moderna.

Por essa razão, este livro é um documento fundamental e único sobre a vida artística da primeira metade do século XX, sobre o nascimento do cubismo, os colecionadores, as regras do comércio da arte e especialmente sobre a vida dos pinto­res, trazendo histórias deliciosas a respeito de Léger, Picasso e o caráter fanaticamente autobiográfico de sua obra, e sobre Juan Gris, para quem Kahnweiler consagrou um livro, escrito no final da Primeira Guerra.

Kahnweiler começou com uma pequena galeria na rua Vignon, em Paris, em 1907. Foi lá, no ano seguinte, que Braque e Derain estrearam comercialmente com um catálogo pre­faciado por Apollinaire. Seu trabalho teve continuidade com Picasso – de quem foi marchand por setenta anos –, Laurens, Léger, Juan Gris e muitos outros. Este livro é a longa e bela história de um homem que consagrou sua vida à paixão da arte e teve o privilégio de acompanhar o dia a dia da grande revolução da arte moderna.

1 em estoque

REF: Minhas galerias e meus pintores Categorias: , , Tag:

Autor:
Daniel-Henry Kahnweiler

Número de páginas:
208

ISBN:
9788525427113

Editora:
LPM

ID do produto: 22649

Informação adicional

Peso 0.1621 kg