Movimentos socioterritoriais – a contrarreforma agrária do Banco Mundial…

R$20,00

Uma das faces da contrarreforma agrária surgidas nos últimos tempos foi a “reforma agrária de mercado”; nesse sentido, é importante esclarecer e problematizá-la em sua constituição, uma vez que a questão agrária continua a ser um dos grandes temas da vida política brasileira, seja pelo grande número de sem-terras espalhados país afora, pelas lutas por melhores condições aos já assentados ou ainda pelos conflitos violentos que, infelizmente, são comuns quando tratamos dessa pauta.
Ao avançarmos na leitura e compreensão deste importante trabalho de Eraldo da Silva Ramos Filho, percebemos que a proposta original desta reforma agrária de mercado – apresentada como uma forma do governo a acelerar o acesso à terra, reduzir as despesas com indenizações de imóveis rurais desapropriados, para “criar mecanismos mais eficazes e menos onerosos que a reforma agrária clássica” – não se efetiva em um processo de democratização no campo; ao contrário, reafirma as injustiças sociais. Esses programas terminam por beneficiar o latifúndio improdutivo com o pagamento à vista ao antigo dono – muitas de má qualidade e com preço inflacionado – e que, mais uma vez, favorece apenas os grandes proprietários de terras.
A partir de dados, descrições e análises da pesquisa levada a cabo pelo autor, importantes processos agrários são desvelados, mostrando a subordinação, mas também a resistência dos trabalhadores rurais; ações que, partindo dos enfrentamentos cotidianos de cada grupo e em cada território, oportunizam o entendimento da necessária organização dos trabalhadores para fazer frente às suas justas demandas.
É uma obra com múltiplas contribuições: um estudo sobre a (re)criação do campesinato, em que se debatem também conceitos e temas como território, agronegócio, políticas públicas, questão agrária, reforma agrária, soberania alimentar e relação campo-cidade. Especialmente indicada para pesquisadores da questão agrária brasileira e dos movimentos sociais rurais que têm buscado com suas lutas subsidiar a formação, a organização e o fortalecimento da autonomia socioeconômica desta parcela da classe trabalhadora. Movimentos que, no limite, almejam a emancipação humana, baseada em outra ordem societária, mais justa e equânime.

Fora de estoque

REF: Movimentos socioterritoriais - a contrarreforma agrária do Banco Mundial e o combate à pobreza Categoria: Tags: ,

Autor:
Eraldo da Silva Ramos Filho

Número de páginas:
276

ISBN:
978-85-6442-159-2

Editora:
Outras Expressões

ID do produto: 6056

Informação adicional

Peso 0.356 kg
Aguarde

Livraria e Editora Expressão Popular

Receba nossos informativos!