Nova Gazeta Renana – 2 volumes

R$130,00

Esta edição completa inédita de Karl Marx e Friedrich Engels, organizada e traduzida do alemão pela consagrada cientista social marxiana Lívia Cotrim (1958-2019), reúne os artigos publicados no diário da Liga dos Comunistas, Nova Gazeta Renana, no período da Revolução Alemã e da contrarrevolução na Europa (1º de junho de 1848 – 19 de maio de 1849), em dois volumes: o primeiro com os artigos de Marx e o segundo com os artigos de Engels.

Conforme destacou Lívia Cotrim, esse conjunto de artigos “foi o principal instrumento de ação política de Marx nas revoluções que então se desencadearam” e foi organizada em dois volumes para o estudo das análises de Marx e de Engels sobre o contexto da revolução e da contrarrevolução na Europa.

A Nova Gazeta Renana contou com o esforço coletivo da Fundação Rosa Luxemburgo e das organizações sindicais dos trabalhadores e trabalhadoras das universidades brasileiras: Adunirio-SSind., a Adufc-Sindicato, as associações de docentes da Universidade Federal de Pelotas (Adufpel-SSind.), da Federal de Ouro Preto (Adufop SSind.) e da Federal Fluminense (Aduff SSind.)

Trechos do livro

Da apresentação

“Entretanto, diante do ineditismo quase completo desses materiais no Brasil, vale lembrar que Marx se debruçou especificamente sobre a política em três ocasiões: a primeira em 1844, quando, iniciada já a viragem ontológica que dá origem a seu pensamento próprio, aborda a insurreição dos tecelões silesianos; a última, motivada pela revolução que instaura a Comuna de Paris, em 1871; e, entre ambas, a que ora nos ocupa, delimitada pelas revoluções de 1848 e seus desdobramentos imediatos (cf. Chasin, 1989). Destes, são bem mais divulgados os materiais que examinam o processo francês e seu desaguadouro, o golpe de Estado de Luís Bonaparte, enquanto o vasto manancial composto pelos artigos da Nova Gazeta Renana tem sido relegado, senão ao esquecimento, ao menos ao segundo plano. Não é muito diversa a situação quanto aos estudos sobre esse material, igualmente raros.” (Lívia Cotrim, apresentação do Gazeta Renana -Volume 1- Karl Marx)

“A análise de Engels, assim como a de Marx, do processo revolucionário alemão e do papel das diversas classes nele, particularmente o dos trabalhadores (e por extensão dos comunistas), aponta para o problema da transição para o comunismo; mais especifica­mente: quais elos poderiam vincular reivindicações imediatas da classe trabalhadora, nascidas das condições de vida igualmente imediatas, a uma revolução comunista, isto é, à reivindicação de supressão do capital, das classes e do estado [Estado]? Questão que se coloca mesmo em países de capitalismo plenamente objetivado, mas que se complica ainda mais quando sequer tal objetivação se efetivou”. (Lívia Cotrim, apresentação do Gazeta Renana – Volume 2- Friedrich Engels)

Dos autores

“Trazemos a nossos leitores o texto integral da acte d’accusation da Presse. Em contraposição a todos os jornais europeus, de formatos grandes ou pequenos, nós compreendemos a Revolução de Junho, como a história confirmou. É preciso voltar de tempos em tempos a seus momentos e atores principais, pois a Revolução de Junho é o centro em torno do qual giram a revolução e a contrarrevolução europeias. O distanciamento da Revolução de Junho marcou, como dissemos ao tempo em que se realizava, o zênite da contrarrevolução, que devia percorrer a Europa. O retorno à Revolução de Junho é o verdadeiro início da revolução europeia. Portanto, de volta a Cavaignac, ao inventor do estado de sítio”. (Karl Marx, Nova Gazeta Renana – Volume 1)

“A irrupção parece estar marcada aqui em Colônia para o segundo dia de Pentecostes. Espalhou-se o boato de que nesse dia tudo vai “começar a andar”. Tentarão provocar um pequeno escândalo, a fim de pôr as tropas em ação imediatamente, ameaçar bombardear a cidade, desarmar a Guarda Cívica, encarcerar os chefes agitadores, em síntese, nos maltratar à maneira de Mogúncia e Tréveris. Alertamos seriamente os trabalhadores de Colônia para esta cilada que a reação lhes arma. Pedimos insistentemente que não deem o menor pretexto ao partido velho-prussiano para submeter Colônia ao despotismo da lei marcial. Pedimos que passem os dois dias de Pentecostes de modo muito especialmente tranquilo, e assim frustrem todo o plano dos reacionários”. (Friedrich Engels, Nova Gazeta Renana – Volume 2).

REF: 9786558910039 Categorias: , , , Tags: , , ,

Autor:
Karl Marx e Friedrich Engels

Número de páginas:
1416

ISBN:
9786558910039 (Dois Volumes)

Editora:
Expressão Popular

ID do produto: 54889

Descrição

 

Informação adicional

Peso 1.971 kg
Dimensões 17 × 24 × 5 cm