O que fazer?

R$50,00

O livro conta a história de uma jovem de classe média, Vera Pavlovna, que se casa com um estudante de medicina para fugir do matrimônio arranjado por seus pais. Depois, ela se apaixona pelo melhor amigo do estudante. O triângulo amoroso seria resolvido, nos padrões da sociedade de então, em um duelo. Mas, na obra, o marido de fachada sugere que todos morem juntos. A partir do casamento de Vera abre-se um longo debate sobre a questão feminina, a necessidade de direitos iguais entre homens e mulheres e de se lutar concomitantemente no âmbito coletivo e interpessoal para a transformação das relações humanas.

A protagonista, além de se recusar a seguir o destino comum às jovens de sua classe, cria uma cooperativa de mulheres costureiras e, até o desfecho do enredo, decide estudar medicina, em um período em que mulheres mal tinham acesso ao ensino superior. O leitor brasileiro precisa examinar essa obra com cuidado para entender como essa narrativa de libertação feminina pode ter resumido muito dos aspectos da disposição revolucionária russa no momento.

Se este é o enredo do romance, por qual motivo teria atraído a atenção de Marx? Por que Lenin nomeou um de seus principais livros com o mesmo título? Teria o autor preconizado a queda do regime czarista? Por que se tornou uma obra capaz de acender o ímpeto revolucionário da juventude? Por que é considerada a obra que mais inspirou o movimento comunista da época? Questões como essas nos fazem publicar este livro, possibilitando que leitores brasileiros tirem suas próprias conclusões.

 Este é o título do Clube do Livro da Expressão Popular.

 

TRECHOS DO LIVRO

“Quando o homem reconhece a igualdade de direitos da mulher com ele, ele se recusa a vê-la como uma propriedade sua. Então ela o ama, como ele a ama, só porque quer amar. Se ela não quiser, ele não tem nenhum direito sobre ela, como ela sobre ele. Por isso em mim há liberdade”.

“Não, hoje ainda não sabem o que é a verdadeira diversão porque não há o tipo de vida necessário para ela; e não há as pessoas dela. Apenas tais pessoas podem se divertir no sentido mais profundo e conhecer o êxtase do seu deleite. Como essas pessoas amadurecem com saúde e energia! Quão esbeltos e magníficos são! Como seus traços são expressivos e poderosos! Todos eles – alegres em sua beleza e livres em sua vida de trabalho e prazer – são muito, muito felizes”.

“Eles vivem de maneira alegre e amigável. Trabalham, descansam, curtem a vida e olham para o futuro, senão sem preocupações, pelo menos com firmeza e confiança absolutamente fundamentada de que vai se tornar melhor à medida que o tempo passar”.

REF: 9788577433803 Categorias: , , , Tags: , , , ,

Autor:
Nikolai Tchernychevskii

Número de páginas:
590

ISBN:
9788577433803

Editora:
Expressão Popular

ID do produto: 35680

Descrição

Nikolai Tchernychevskii (1828 -1889) é autor do mais importante romance russo do século XIX. Nasceu em um contexto agitado, após as guerras napoleônicas vencidas pelo Império russo, em um ambiente político incapaz de garantir as liberdades mínimas. Jornalista, Tchernychevskii foi editor da revista Sovremennik [O contemporâneo] – periódico de maior tiragem à época − quando foi detido sob acusação de ser agitador político. É da prisão que o autor abraça a ideia de ruptura e a ideia da revolução. De modo didático, concebendo a função social da arte cujo real tem a primazia sobre o ideal, e o escritor tem como objetivo principal a educação do povo, sujeito do processo histórico, o autor transformou a obra O que fazer? em uma convocação para abandonar a resignação e buscar a reorganização da vida a partir de princípios mais avançados. E, para driblar a censura czarista, Tchernycheviskii não faz uma descrição literal do ideal de um revolucionário, mas uma imagem distorcida, exagerada do que seria um possível tipo revolucionário e a ideia de revolução.

A tradução dessa obra foi realizada da língua russa direto para o Português (pt-BR) por Angelo Segrillo.

Informação adicional

Peso 0.636 kg
Dimensões 14 × 21 cm