Sexualidade e gênero no imaginário brasileiro

R$37,00

São narrativas que destacam a falta de normas, metáforas que fundam hoje discursos sobre a impunidade ou falta de pai e lei.

Falácias ou fábulas produzidas pelo imaginário de um país no qual a maioria dos domicílios é chefiada por mulheres sós.

Os romances de Aluísio de Azevedo, José de Alencar, Lima Barreto e Machado de Assis expressam a modernidade brasileira. Nas páginas destes autores vemos desfilar personagens que são emblemáticos para a constituição de nossas subjetividades.

Se as mulheres são “nervosas” como podemos apreender nas obras de Azevedo, por exemplo, os homens são “hipocondríacos”. O paradoxo está representado no “mulato” que, um tanto feminino – visto a posição subalterna no gradiente de cores –, também pode se mostrar “nervoso”.

Nas obras selecionadas de José de Alencar, produzidas na vigência da escravidão, esta é suavemente ocultada. Orgias são anunciadas em leves pinceladas, entre um e outro gole de champagne francês, e talvez aconteçam mais tarde, quando afinal, “os criados” tiverem se recolhido para dormir.

As moças são, em sua maioria, órfãs de mãe. Restam algumas, como Engrácia, mãe de Clara dos Anjos, de Lima Barreto, capaz de chegar ao “desvario” diante de uma dor de dente da filha.

Muito distante da racionalidade de uma Dona Margarida, no mesmo romance, esta sim detentora da eficácia de uma educadora, sabe impor normas e disciplina, quem sabe porque alemã?

1 em estoque

REF: Sexualidade e gênero no imaginário brasileiro Categorias: , Tag:

Autor:
Helena Bocayuva

Número de páginas:
192

ISBN:
978-85-7106-374-7

Editora:
Revan

ID do produto: 7129

Descrição

Helena Bocayuva é doutora em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ e pesquisadora associada ao Instituto Carioca de Criminologia.

Informação adicional

Peso 0.235 kg
Aguarde

Livraria e Editora Expressão Popular

Receba nossos informativos!