Buscar

Buscar neste site:

Dicionário do folclore brasileiro


Autor:

Luis da Câmara Cascudo

Número de páginas:

756

ISBN:

978-85-2601-507-4

Editora:

Global

Categoria:

Antropologia

Peso:

1095 g
R$ 98,00

Obra sem similar em língua portuguesa, e talvez em todas as outras línguas, o Dicionário do Folclore Brasileiro, de Luís da Câmara Cascudo, reaparece em nova edição, revisto, atualizado. A mitologia conta que em luta com Hércules, Anteu, filho da Terra, cada vez que tocava o chão renovava as forças, como se ganhasse uma nova vida. À semelhança do gigante grego, o dicionário de Cascudo renova a sua importância, cada vez que reaparece nas livrarias.

Espécie de súmula de mais de quarenta anos de estudo e pesquisa apaixonada do folclore e da etnografia brasileira, a obra é também uma síntese viva e palpitante, através de milhares de verbetes, das superstições, crendices, mitos, danças, lendas, práticas mágicas adotadas e vividas pelo povo brasileiro em seu cotidiano.

Aliás, é isso e muito mais do que isso. Registra, por exemplo, locais de devoção popular, como Bom Jesus da Lapa, na Bahia, Aparecida e Bom Jesus de Pirapora, em São Paulo, formas de trabalho cooperativo (mutirão), movimentos de rebeldia popular, como o cangaço, informa sobre os cangaceiros mais famosos, aqueles que deixaram um rastro de fama e de sangue na alma popular (Cabeleira, Lampião) e, por contraste e complemento, os santos preferidos pela devoção popular: São Jorge, Lázaro, José, João, Pedro, Gonçalo, Antônio e seu duplo, muito venerado pelos escravos, Santo Antônio Preto.

Pode-se afirmar que não há ocorrência de caráter folclórico ou etnográfico que não esteja registrado em seu devido verbete, sempre enriquecido com bibliografia indispensável ao aprofundamento do assunto.

Mais do que um dicionário, a obra de Cascudo é uma introdução à cultura viva do povo brasileiro que, graças à cooperação de estudiosos, se amplia e enriquece a cada edição. Como dizia a Bíblia, escrever livros (sobretudo dicionários) é uma tarefa sem fim.